Ser penedo é ser por fora o que se é por dentro (Teixeira de Pascoaes)
... é como ser transparente.

15 de julho de 2015

Oh heresia!


"Muitos acreditaram que a novidade residia na forma das ideias e não nas ideias mesmas, falta oriunda da miserável educação filosófica recebida" (Sampaio Bruno, A Geração Nova, pp. 23, 1a ed., 1886).
E se o genial e ignorado Bruno acerta, mais uma vez, e se o articulista (a quem estimo pelo que li) tem demonstrado a seriedade, política... e literal, que tem faltado ao PS, o artigo cai no enraizado erro que estrangula a sociedade portuguesa: o de pretender unir o que é repulsivo entre si, e ainda bem.
Como é possível unir aquela “massa” heteróclita sem que antes eles todos respondam a questões fundamentais de política pura, que os dividem inexoravelmente, por exemplo: quem defende a propriedade privada? Quem é na hierarquia administrativa funcional, mais importante, o cidadão ou o Estado? O Estado, e os seus funcionários (políticos e administrativos) devem ter preponderância sobre o cidadão (contribuinte também)? Qual a posição a ter perante governos como o de Chavez, de Bush, de Khadafi (para falar só dos defuntos políticos)? e por aí adiante…
Por isso, bendigo as desavenças eternas entre a nossa “esquerda”. É que há muita gente generosa, culta e socialmente útil nesses meios misturada com emblemados de lapela que se autoconvenceram de uma superioridade que não merecem.
E, ao contrário do articulista, creio que para se encontrar uma caminho de progresso, de transformação, de emancipação do trabalhadores (e dos outros), é necessário cortar de vez com esta metodologia de pôr a “forma das ideias” à frente destas.
Discutam-se as ideias. Filosofe-se, primeiro. Depois se verá!

(isto a propósito de:

http://www.jn.pt/opiniao/default.aspx?content_id=4678986 )

Nenhum comentário: