Ser penedo é ser por fora o que se é por dentro (Teixeira de Pascoaes)
... é como ser transparente.

1 de maio de 2007

The Power of the Silence, Vilnius, Lituânia

(Texto sobre aforismos do poeta Teixeira de Pascoaes, para a escultura O Poder do Silêncio, realizada e instalada definitivamente no Parque de Vilnoja, na Lituânia, em Maio de 2007)

Nascer é pôr a máscara e na modulação das representações que escolhemos, as válidas, isto é, as sinceras, existe essa de assumirmos as funções, as idades, as pátrias que a nossa vida vai conhecendo.
Nesta bela Lituânia ficará o Silêncio - essa primeira pedra do templo da filosofia – concebido singelamente mas na consciência de que a pedra representa o êxtase absoluto, a serenidade absoluta, o estado morto e angélico das coisas e de que todo o enigma da vida está fechado na cabeça de uma formiga.
É preito àqueles que forçada ou voluntariamente elegeram o silêncio como saber, por vezes o supremo, ou como arma, amiúde com um ensurdecedor efeito, sabendo nós que as obras de arte são grandes pelo indefinido e imperfeito que encerram, pois dessa imperfeição fecunda se alimenta o nosso espírito.
Os povos são grandes e a sua geografia é escassa – por isso, os rios Nemunas ou o Tejo, o Neris ou o Douro, valem mais que o seu percurso – mas sabemos da nossa contigência, o infinito é ele menos o metro em que avultamos; a eternidade é ela menos a hora em que vivemos.
Queiramos nós, na muralha altaneira se abre a brecha, no lado oposto ao entulho, o cerrado punho indicia o inventor do silêncio: eliminem a palavra humanidade e ficaremos cobertos de pêlo, num instante.

JPdS

Nenhum comentário: